terça-feira, 14 de abril de 2015

Um Dia do Livro Infantil diferente

A visita de um escritor
         Hoje, na nossa escola, tivemos uma visita de um escritor que se chama Celestino Pinho.
O senhor Celestino Pinho só andou na escola até ao quarto ano. Ele não tinha tempo para fazer os trabalhos de casa, porque quando acabava a escola, ia apanhar lenha para aquecer a casa e para a mãe dele fazer a comida.
O senhor Celestino deixou-nos fazer perguntas sobre a vida dele e quando é que ele começou a escrever. Ele disse que começou a escrever aos vinte e dois anos, quando andava na tropa.
Uma menina perguntou-lhe como é que ele começou a escrever e ele disse que foi a escrever e mandar cartas para as namoradas e para as madrinhas de guerra. Também contou que já teve muitas profissões: a primeira foi barbeiro, depois serralheiro e por último, trabalhou na Câmara Municipal.

         O senhor Celestino trouxe alguns livros que escreveu, para nos ler um pouco. Ele contou-nos que, antigamente, as raparigas para irem namorar ou sair de casa, tinham que dizer que iam buscar água à fonte e iam ter com os namorados e, quando chegavam a casa, viravam a água no pátio para voltarem à fonte.

    E foi assim uma parte da manhã do dia sete de abril, na nossa escola, com o senhor Celestino.
                                                                                               Flávia Pinto, 4º ano

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Dia da Árvore

         No último dia de aulas do 2º período e véspera do Dia da Árvore, os alunos observaram e colaboraram na plantação de algumas árvores no parque junto ao Centro Pastoral da Trofa.
      Com as condições ambientais a terem consequências tão graves na qualidade de vida de todos os seres vivos, é demasiado importante ajudar os nossos alunos a criar hábitos de proteção e valorização das árvores, como sendo elemento fundamental de equilíbrio e bem estar no planeta Terra.
      Uma vez que o sobreiro é a árvore nacional, os alunos do 3º e 4º anos criaram um poema que enviaram para o concurso  " A poesia da cortiça", integrado no projeto Green Cork Escolas.

 Plantar um sobreiro

Cai uma bolota,
Dá uma cambalhota.
Cai na terra
E logo se enterra. 
Nasce um rebento
Apanha sol, chuva e vento
Que vão criar o seu alimento.

Cresce…cresce o tempo inteiro.
Ai que rico sobreiro!

Quem planta um sobreiro
É um bom corticeiro
E planta a brincadeira
Para quem brinca à sua beira.

Mas quem planta um sobreiro
Tem de ser aventureiro
E ajuda o mundo inteiro.

Planta sobreiros e tem a cortiça
em rolhas e calçado muito usada
Evita o ruído, mantém a temperatura
Na construção de casa bem isolada.

Usa-se em obras de arte
Colares, carteiras, molduras
Feitas à mão ou na fábrica
Transformadas em belas esculturas.

Vejam como é importante
O nosso rico sobreiro,
Que além de sombra e cortiça
Dá oxigénio o ano inteiro.

E assim termina a história
Do nosso útil sobreiro
Que dá tanta coisa boa
E é um amigo verdadeiro!

Trofa e Moçambique

      Os alunos da turma R, começaram a conhecer um grupo de alunos do Colégio Arco-Íris, na cidade de Maputo, em Moçambique.
       Esta atividade faz parte do Projeto Outclass realizado em parceria com a Universidade de Aveiro que, utilizando computadores (magalhães) trazidos especialmente para cada sessão pelos professores responsáveis pelo mesmo na U. A., coloca em contacto os alunos dos dois estabelecimentos de ensino.
       Os alunos ficaram muito entusiasmados com a possibilidade de conhecerem alunos de um país de outro continente, com cultura bem diferente da sua.
      Quando, devido à diferença horária os alunos moçambicanos  tiveram que terminar a atividade, mostraram-se tristes e desapontados por quererem conhecer um pouco mais sobre estes "novos amigos" e sentirem que o tempo tinha passado muito rápido.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Dia escolar para a não violência

      No passado dia 30 de janeiro, "Dia escolar para a não violência", os nossos alunos contaram com a presença da drª. Eliana Neves, para ajudar a refletir sobre a problemática da violência em contexto escolar.

      Os alunos participaram num jogo, observaram imagens, fizeram perguntas...
     ...e falaram das suas vivências e preocupações.
      Foi uma aula diferente e muito enriquecedora para todos.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Tempo de Natal


Aproxima-se o Natal
os dias estão mais frios
mas não faz mal
que até dê arrepios!
 
Como está muito frio
não posso ir para a brincadeira
fico dentro de casa
mesmo perto da lareira.
 
O pinheirinho vou enfeitar
na lareira o sapatinho vou colocar
Jesus filho de Deus nasceu
e com José e Maria viveu.
 
Aproxima-se o Natal
tenho mais tempo para brincar
e consigo ver muitas luzes
nas ruas e casas a piscar.
 
O Natal é uma altura do ano
que na árvore colocamos enfeites
na mesa há comida diferente
e as pessoas trocam presentes.
 
As casa todos enfeitam
e colocam-se luzes coloridas
trocam-se muitos presentes
e as crianças andam divertidas.
 
A árvore vão enfeitar
e todos andam a sorrir
a família vão convidar
para  a sua casa vir.
 
Na véspera de Natal
em convívio gosto de estar
brincar e cantar em família
depois de terminar o jantar.
 
Reparo num velho
que é o Pai Natal
que se veste de vermelho
e acredito que é real!
 
Alunos da turma R



domingo, 21 de dezembro de 2014

Final de 1ºperíodo

      Com o final do 1º período de aulas e a aproximação do Natal, fizemos o nosso já tradicional almoço partilhado.
      As assistentes operacionais começaram por decorar o refeitório com elementos alusivos a esta época festiva, construídos por si com materiais recicláveis.
       À hora do almoço, os alunos entraram no refeitório e encontraram nas mesas deliciosos alimentos enviados pelos pais.
       Nesta época festiva, esquecemos um pouco a alimentação saudável e cometemos alguns excessos.
       Depois do almoço, houve tempo para uma pequena festa no futuro auditório do Centro Pastoral.
       Os mais pequenos do Jardim cantaram duas canções de Natal.
       Seguiram-se os alunos do 1º ano...
      ...e os do 2º e 4º anos.
       Enquanto uns cantavam, os restantes assistiam e aplaudiam.
       Chegou a hora de canções que aprenderam na aula de Inglês, com o professor Vítor.
       Um grupo de alunos do 4º ano brilhou com uma música tocada com as suas flautas.
       Voltámos a ouvir algumas canções aprendidas na aula de Música.
       E também se ouviram poemas escritos e lidos pelos alunos do 3º ano
       Por fim, juntaram-se todos no palco para cantarem a tradicional canção: "A todos um bom Natal".
       Antes do final do dia, ainda houve tempo para lanchar e receberem um pequeno presente /guloseima que os esperava na mesa do refeitório.

O nabo Gigante

      Com a aproximação do Natal, os elementos executivos da União das Freguesias de Trofa Segadães e Lamas decidiram oferecer a todas as crianças das Escolas e Jardins de Infância da sua área de influência, um momento diferente... quase mágico: um espetáculo de marionetas.
      As crianças foram chegando ao Centro Cultural e Recreativo de Crastovães, de autocarro mas, como a nossa escola fica perto, fomos a pé.
       Entrámos, a sala encheu e começou a apresentação de "O Nabo Gigante", um conto original russo recolhido por Alexis Tolstoi no séc. XIX.
      Todos estiveram atentos ao desenrolar da interessante história que terminou com uma importante lição: Aqueles que parecem insignificantes, podem fazer toda a diferença nos resultados.
      Os alunos estão agradecidos ao senhor Presidente da Junta e restantes elementos executivos, por este momento mágico.